Djavan em Indaiatuba, esse sábado, no Clube 9 de Julho!

Djavan trás seu novo álbum “Vidas pra contar” para o Clube 9 de Julho em Indaiatuba. O Disco é o vigésimo terceiro da carreira do cantor e conta histórias de vidas reais sob o filtro da poesia, do espanto pelo detalhe. O show pode ser assistido da pista, do bistrô ou das mesas e os valores dos ingressos vão de R$ a Meia Entrada, á 2.800 a mesa completa para 10 pessoas.

Serviço:
Onde: Clube 9 de Julho (Avenida Presidente Vargas, 2000, 13338-705 Indaiatuba)
Quando: sábado, dia 03 de setembro.
Os ingressos podem ser comprados pela internet no site aloingressos.com
ou pessoalmente, no Frans Café Indaiatuba, na Avenida Presidente Vargas, 1115.

Conheça um pouco da biografia do cantor
djavan_vidas-pra-contar_banner
Djavan poderia ter sido jogador de futebol. Lá pelos 11, 12 anos, o garoto Djavan Caetano Viana divide seu tempo e sua paixão entre o jogo de bola nas várzeas de Maceió e o equipamento de som quadrifônico da casa de Dr. Ismar Gatto, pai de um amigo de escola.

Da primeira paixão, despontava como talentoso meio-campo no time do CSA, onde poderia ter feito tranquilamente carreira profissional. Mas é na viagem sonora pela coleção de discos do Dr. Ismar – que para o pequeno alagoano parecia conter toda a música do mundo – que desponta um artista: o compositor, cantor, violonista e arranjador Djavan.

Nascido em 27 de janeiro de 1949, em família pobre, aprende violão sozinho nas deficientes cifras de revistas do jornaleiro. Aos 18, já anima bailes da cidade com o conjunto Luz, Som, Dimensão (LSD). Não demora a ter certeza: precisa compor.

Aos 23, chega ao Rio de Janeiro para tentar a sorte no mercado musical. É crooner de boates famosas – Number One e 706. Com a ajuda de Edson Mauro, radialista e conterrâneo, conhece João Mello, produtor da Som Livre, que o leva para a TV Globo. Passa a cantar trilhas sonoras de novelas, para as quais grava músicas de compositores consagrados como Dori Caymmi, Toquinho e Vinícius e os irmãos Paulo Sergio e Marcos Valle.

Em três anos, nas horas vagas do microfone, compõe mais de 60 músicas, de variados gêneros. Com uma delas, “Fato Consumado”, tira segundo lugar no Festival Abertura, realizado pela TV Globo em 1975, e chega ao estúdio da Som Livre. De lá sai com seu primeiro disco, das mãos do mítico produtor Aloysio de Oliveira (o mesmo de Carmen Miranda a Tom Jobim). Seria apenas o primeiro de uma longa discografia, que colocou Djavan definitivamente entre os maiores e mais influentes artistas da música brasileira.

Notícias Relaciondadas

thumbnail
hover

Fiec abre as inscrições para o...

A Prefeitura de Indaiatuba por meio da Fiec (Fundação Indaiatubana de Educação e Cultura) informa que as inscrições para o Vestibulinh...

thumbnail
hover

Prefeitura divulga programação do município no...

A Prefeitura, por meio da Secretaria de Obras e Vias Públicas, divulgou nesta semana as ações que serão realizadas pelo município dentr...

thumbnail
hover

Final do 17º Prêmio Nabor Instrumentista...

A Prefeitura de Indaiatuba, por meio da Fundação Pró-Memória, realiza na sexta-feira, dia 27, às 19h30, no Ciaei (Centro, Integrado de ...